9 Hábitos que Prejudicam o seu Esperma

Você passa anos evitando que ela fique grávida, mas quando finalmente decide ser pai, nem lhe passa pela cabeça que ter um filho não é assim tão fácil como você pensava.

Na verdade, estima-se, a nível mundial que 1 a cada 8 casais tem dificuldade em engravidar.

Nestes casos, 1 em cada 3 é devido ao esperma.

A qualidade ideal do esperma tem diminuído nas últimas décadas.

Em partes, este decréscimo na saúde do esperma pode vir de certos hábitos aparentemente inofensivos que fazemos quase todos os dias.

Separai 9 exemplos que você deve ficar atento.

4 - 9 Hábitos Que Prejudicam Seu Esperma

AUTOR

Luiz Pacheco

CATEGORIA

Dicas

DATA

03 de Julho 2020

INSTAGRAM

@androclinicbrasil

1 – Ficar acordado até muito tarde

Desligue a televisão e vá se deitar. Homens que dormem menos de 6 horas por noite têm 31% menos probabilidade de engravidar uma mulher em comparação com aqueles que dormem entre 7 a 8 horas por noite, de acordo com um estudo publicado na revista Fertility & Sterility.

Isso acontece porque a falta de sono compromete a produção do hormônio testosterona, que é essencial para a produção de esperma, diz a mesma pesquisa.

Contudo, saiba que sono em excesso também não é a solução.

Aqueles que dormem mais do que 9 horas por noite também demonstraram níveis mais baixos de fertilidade.

Por isso, fique pelas 7 a 8 horas por noite.

2 – Não comer peixe

Uma pesquisa desenvolvida em Harvard analisou a dieta e qualidade do sêmen de 155 homens.

Deste estudo, concluiu-se que aqueles que comiam mais peixe – em particular peixes ricos ômega-3, como o salmão ou atum – contavam com esperma de melhor qualidade.

Por outro lado, aqueles que comiam mais carne processada, como bacon, salsicha de cachorro quente ou salame, apresentavam os níveis mais baixos de qualidade do sêmen e maior número de espermatozoides anormais.

Considera-se que isso acontece porque carne processada reduz a produção de hormônios como a testosterona, enquanto os ácidos gordos presentes no ômega-3 possibilitam a formação de um esperma mais saudável.

Guia Definitivo

Disfunção Erétil

BAIXE SEU GUIA GRATUITAMENTE

Guia Definitivo

Disfunção Erétil

BAIXE SEU GUIA GRATUITAMENTE

3 – Usar o lubrificante errado

Alguns lubrificantes podem interferir na jornada do seu esperma e, consequentemente, na sua fertilidade, apontou um estudo de 2014 publicado na revista Fertility & Sterility.

A consistência do lubrificante põe em risco o esperma, garante a pesquisa.

“Ajudam na relação sexual quando o casal não está tentando engravidar, mas pode atuar como uma espécie de barreira”, diz o especialista.

Além disso, estes produtos contêm ácido clorídrico, um componente capaz de ‘matar’ o próprio esperma, alerta.

O recomendado é encontrar um lubrificante que seja mais delicado e não interfira na qualidade do esperma.

Ainda assim, vale lembrar que nunca se deve usar lubrificante enquanto método contraceptivo.

4 – Abusar de refrigerantes e açucares

Se você consome mais do que um refrigerante por dia, têm grandes chances do seu esperma ter menor mobilidade do que os daqueles que dificilmente tomam essas bebidas, conclui investigação publicada na Human Reproduction.

Comer ou beber açúcar em excesso, pode levar a casos de resistência à insulina, um estado onde as células são incapazes de usar a glicose do sangue enquanto energia.

Isso pode resultar numa inflamação que afeta a movimentação dos próprios espermatozoides.

Além disso, se os seus hábitos de consumo de refrigerantes estão te engordando, o seu problema é ainda maior.

Gordura em excesso compromete a produção de testosterona e promove em excesso a produção de estrogênio, o que também afeta a fertilidade.

A gordura em excesso na zona das coxas pode também ser um fator contra a sua fertilidade, pois aumenta demais a temperatura do escroto, que pode criar um ambiente prejudicial ao esperma.

5 – Se estressar demais

Homens com níveis altos de estresse têm um esperma com qualidade pior do que aqueles que se sentem menos estressados, diz um estudo desenvolvido pela Universidade Columbia USA.

Estresse em excesso pode comprometer os seus hormônios reprodutivos, ou criar uma inflamação que comprometa o esperma.

Independentemente daquilo que esteja te estressando, você tem que encontrar um meio de sair deste problema, seja conversando sobre isso com a sua parceira ou através da prática de exercícios.

6 – Excesso de peso

Pesquisas indicam que a obesidade traz grandes chances de desenvolvimento de modificações nos testículos, interferindo na fertilidade.

Além de que, por causa do crescimento de gordura, a obesidade afeta a formação de hormônios, o que tem grande influência na produção de espermatozoides.

7 – Guardar sempre o celular no bolso das calças

As células do seu celular podem comprometer a forma como os seus espermatozoides se mexem, além de diminuir a quantidade, segundo 10 estudos britânicos.

A radiação emitida pelos celulares pode aumentar a temperatura do escroto.

É isto pode interferir na produção dos seus espermatozoides, dizem os pesquisadores.

Isto não significa que você tenha que se afastar ao máximo do seu celular.

Existem maneiras simples de diminuir a sua exposição a tal radiação como começar a guardá-lo no bolso do casaco, por exemplo.

8 – Uso de anabolizantes

Os anabolizantes podem causar infertilidade tanto parcial quanto total, como ocorre no caso da ingestão de testosterona em excesso.

Alguns dos problemas associados aos anabolizantes são a diminuição dos testículos e queda na produção dos espermatozoides.

9 – Bebida demais

Não há problema em beber uma cerveja ou um copo de vinho de vez em quando.

Porém, diversos estudos que relacionam o consumo de bebidas mais pesadas a baixos níveis de testosterona.

Beber em excesso também tem relação com o menor número de espermatozoides saudáveis.

Beber 25 ou mais doses de álcool por semana está relacionado com uma diminuição significante na qualidade do esperma.

Já aqueles que bebem 40 ou mais doses de bebidas alcoólicas por semana, contam com uma redução de 33% de qualidade de esperma.

Os dados contrastam com os daqueles que apenas consomem uma média de 5 doses de álcool por semana.

O álcool é uma toxina, e o seu cérebro não é o único afetado, os níveis de testosterona também são afetados, influenciando também a quantidade de produção de esperma.

Gostou do artigo? Compartilhe com seus amigos.